Itália: disparos em frente ao Parlamento

último programa para o Brasil 09h42 – 10h00 (Radio France International, a partir de 4′)

O início do novo governo na Itália foi marcado com o vermelho do sangue derramado em frente ao Parlamento. O vermelho – que na bandeira italiana representa as lutas travadas para unificar a Itália mais de 150 atrás – neste domingo foi tingido de desespero e falta de esperança.

Luigi Preiti: "Meu alvo eram os políticos".
Luigi Preiti: “Meu alvo eram os políticos”.

Os seis tiros disparados por Luigi Preiti não feriram somente os Carabinieri e a mulher grávida que passava por uma das principais ruas do comércio de Roma; atingiram todo um país que num domingo de sol pensava somente em desapegar-se da política que tanto vem calejando os italianos. Os disparos ecoaram por toda a península, foram também ouvidos dentro do Palácio da Presidência justamente no momento em que o novo primeiro-ministro jurava bem conduzir a Itália.

Na mesma hora, no Vaticano, o Papa fazia um apelo pela dignidade e segurança de todos os trabalhadores. Os policiais, símbolo mais visível da presença do Estado, não precisaram ouvir o Papa e rapidamente indignaram-se contra os políticos. Os políticos, como confessou o autor dos disparos, eram o alvo – mas na falta deles – decidiu desferir os tiros contra os trabalhadores, as forças de ordem, que faziam a segurança do Parlamento.

O estado de saúde de Giuseppe Giangrande, o carabiniere de 50 anos atingido no pescoço, é considerado grave. A região do Parlamento ganhará reforço na segurança já a partir desta segunda-feira (29/04) com medidas que preveêm o fechamento de ruas ao trânsito e monitoramento dos pedestres.

Luigi Preiti, 49 anos, autor dos disparos, é da Calábria, região com um dos mais altos índices de desemprego na Itália. Ele possuía munição suficiente para transformar o atentado em uma tragédia ainda maior. Durante o interrogatório, afirmou ter planejado tudo sozinho naquele que definiu como “um gesto surpreendente em um dia importante”. Nesta terça-feira, diante do juiz de investigações preliminares, deve ser reiterada a acusação de tentativa de homicídio. Os disparos de Luigi fizeram com que a Itália, em busca de uma redenção social, política e econômica, se deparasse novamente com o abismo que insiste em engolir as esperanças da população na forma de desemprego e falimento do Estado. 

Os tiros foram disparados em frente ao Parlamento. A posse acontecia no Palácio do morteallostatoPresidente da República, longe do gabinete do primeiro-ministro. Apesar da distância, os ecos dos disparos foram ouvidos no Quirinal, assim como a indignação dos Carabinieri. O jovem novo primeiro-ministro italiano Enrico Letta enfrenta seu primeiro revés antes mesmo de efetivamente assumir a presidência do Conselho dos Ministros.

Em 1998, Letta tornou-se o mais jovem ministro do país, aos 32 anos. Aos 46 anos, Enrico Letta está entre os mais jovens primeiros-ministros que a Itália já teve. É casado com uma jornalista do Corriere della Sera, jornal mais conhecido do país. Considerado de “esquerda-moderada”, Letta recebeu o encargo do presidente Napolitano com um único objetivo: unir o Parlamento e tirar a Itália da crise.

Letta vai passar pelo primeiro teste na tarde desta segunda-feira, quando o Parlamento dará a “Fiducia”, ou voto de confiança para que o primeiro-ministro inicie, de fato, a governar. No entanto, há quem diga que grande vencedor na composição do novo goverso seria Silvio Berlusconi. O vice-premiê, Angelino Alfano, é o braço direito de Berlusconi. Alfano também é Ministro das Relações Internas, cargo-chave e de grande influência no Conselho dos Ministros.

Anúncios

Terremoto dell’Aquila, 4 anni dopo

Terremoto dell’Aquila, 4 anni dopo

Zona Rossa / Red Zone (Documentario. Roma, 2013 – 7′)

Nel cuore della penisola italiana, tra le montagne dell’Abruzzo, esplose una delle più furiose e terribili forze della natura. L’Italia si svegliò con una scossa che ha colpito non solo l’Abruzzo ma ben tutto il paese e anche il mondo. Davanti allo scenario di guerra, tra le macerie e i morti, dal dolore della città, ancora una volta è apparsa una vecchia domanda: Riusciranno mai gli uomini a prevedere i terremoti?

In the heart of the Italian peninsula, among the Abruzzo mountains, a terrifying natural
force manifested itself. Italy woke up with an earthquake that shocked not only the
Abruzzo region, but also the rest of the country and, somehow, the entire world. In
front of a sort of war scenario, with ruins and casualties, an old question reappeared:
Can we predict earthquakes?