Para ouvir

Uma camponesa a trabalhar a terra em Caiense, AngolaO Governo angolano poderá ajudar financeiramente o continente africano no combate à fome. Angola também deu passos significativos para acabar com a má nutrição, e por isso será homenageado pela FAO ainda este ano.

Ao mesmo tempo em que Angola não só atinge, mas vai além, da Meta do Milênio de reduzir para a metade a fome no país até 2015, a insegurança alimentar ainda é aguda em algumas regiões, como em Gambos, província da Huíla, no sul do país.

Um contraste, tal como os números da fome em Angola que, entre 1992 e 2012, viu a quantidade de desnutridos entre a população total cair de 64% para 27%.

Recentemente o diretor da Organização para a Agricultura e Alimentação das Nações Unidas (FAO), José Graziano da Silva, visitou Angola, algo que não fazia desde 2004, quando era Ministro da Segurança Alimentar e Combate à Fome do ex-Presidente brasileiro Lula da Silva.

Em Luanda, Graziano percebeu uma evolução positiva na infraestrutura da capital: “Quando estivemos lá havia montanhas de lixo acumuladas nas estradas e ruas. Hoje tem um sistema de água tratada, de esgoto sanitário e de energia elétrica em todo país que assegura uma vida normal às pessoas.”

Angola é terceiro país mais minado do mundo. Por isso a prática agrícola ainda é está comprometidaAngola é terceiro país mais minado do mundo. Por isso a prática agrícola ainda é está comprometida

Desminagem, um grande passo

O diretor da FAO constatou avanços também na sua área de trabalho: “Nas zonas rurais já não se enfrenta mais o problema das áreas minadas que não permitiam o cultivo. Hoje o país está a crescer no que diz respeito a produção agrícola.”

Atualmente, a FAO mantém investimentos de aproximadamente 20 milhões de dólares para o desenvolvimento da agricultura e manutenção da segurança alimentar em Angola.

Graziano regressou a Roma com a certeza de que Angola retribuirá os investimentos feitos pela comunidade internacional, ao lado da Guiné Equatorial, que já depositou 30 milhões de dólares para o Fundo de Solidariedade para a África, criado no ano passado.

José Graziano da Silva, Diretor da FAO. Ele foi um dos mentores de programa Fome Zero no Brasil que fez muito sucesso José Graziano da Silva, Diretor da FAO. Ele foi um dos mentores de programa “Fome Zero” no Brasil que fez muito sucesso

O contributo de Luanda, apesar das dificuldades

Angola deve anunciar em breve uma contribuição semelhante, como dá a entender o diretor da FAO: “O Presidente José Eduardo dos Santos não é de muita conversa. Tive o privilégio de encontrá-lo pela segunda vez . Desta vez, realmente foi considerada uma demonstração do seu compromisso com a FAO e da luta contra a fome em África.”

Questionado sobre os contrastes na sociedade angolana, Graziano reconhece que muito ainda deve ser feito para que a fome seja erradicada e as diferenças sociais sejam atenuadas.

Mas afirma que Angola está no caminho certo: “Todo pais que passou fome tem um sentimento de solidariedade muito forte e Angola está entre estes países assim como o Brasil, hipotecando essa solidariedade através de recursos e cooperação técnica.”

Responsabilidades partilhadas

E ainda durante a visita de Graziano Ramos a Angola um acordo foi assinado entre a FAO e o Governo, que vai de 2013 a 2017. O acordo abrange três áreas: o aumento da produtividade e a produção de alimentos por parte de pequenos produtores, o manejo sustentável dos recursos naturais e a criação de meios de resistência da população rural no impacto das calamidades naturais.

Segundo o diretor-geral da organização onusiana, dois dos três pontos são de responsabilidade do ministério do Ambiente e juntamente com a FAO, o organismo estatal angolano vai organizar um seminário internacional com o objetivo de promover a economia verde em Angola.

O país vai ser homenageada pela FAO, em junho próximo, por ter reduzido para metade a proporção de pessoas subnutridas, cumprindo assim a primeira meta dos objetivos de desenvolvimento do milénio da ONU.

Autor: Rafael Belincanta (Roma) / Lusa
Edição: Nádia Issufo / António Rocha

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s