Brasileiros são os turistas que mais visitaram Roma em 2011

Brasileiros são os turistas que mais visitaram Roma em 2011

Roma – Escutar a língua portuguesa em Roma tem se tornado algo cada vez mais frequente. E as impressões não estavam equivocadas: entre janeiro e novembro deste ano, o número de turistas brasileiros cresceu 18.20%, ou seja, 100.392 turistas brasileiros desembarcaram em Roma e 262.204 pernoitaram na capital italiana.

Ano de ouro

palazzo pamphilj, sede da embaixada do brasil em roma, na piazza navona

“O fluxo de turistas em Roma continua a crescer com números impressionantes e isso para nós é um sinal muito forte contra a crise econômica”, declarou o prefeito de Roma, Gianni Alemanno.

Reveillòn

Para a virada do ano as previsões também são positivas. O número de reservas de quartos cresceu 3,76%.

Taxa de permanência

Nem mesmo a taxa de permanência, que começou a ser cobrada este ano, impediu o crescimento do turismo em Roma. A taxa varia entre 1 e 3 euros, de acordo com as instalações.

 

Em mensagem de Natal, Papa pede fim de violências na Síria

 

O dia de Natal no Vaticano também foi lembrado pela tradicional bênção “Urbi et Orbi”, ou “para a cidade e para o mundo”, dada pelo Papa Bento XVI do balcão principal da Basílica de São Pedro. Milhares de fiéis foram até a Praça de São Pedro para ouvir o Papa falar em 65 idiomas, neste domingo.
 Rafael Belincanta, correspondente da RFI em Roma.

Bento XVI lembrou os principais acontecimentos de 2011. O primeiro foi a tragédia da fome no Chifre da África.“Que a comunidade internacional não deixe faltar ajuda aos numerosos refugiados vindos dessa região, duramente provados na sua dignidade”.

 

PAPA PEDE FIM DE VIOLÊNCIAS NA SÍRIA
Rafael Belincanta, correspondente da RFI em Roma.

25/12/2011
by RFI

 

No seu discurso, lembrou ainda das populações do Sudeste asiático, em especial Tailândia e Filipinas, devido às recentes inundações e também encorajou a retomada das negociações entre Israel e Palestina.

A busca pelo diálogo e colaboração no Mianmar, país asiático governado por uma junta militar no poder há muitos anos, foi lembrada pelo Papa, em nome da democracia. Ele ainda falou sobre o Sudão do Sul, que após a independência, agora enfrenta desafios para garantir os direitos dos cidadãos.

Por fim, o Pontífice pediu a reconciliação plena e a estabilidade no Iraque e no Afeganistão e o fim das violências na Síria, onde segundo ele, “já foi derramado muito sangue”.

 

 

Premiê italiano lança novo pacote para salvar a economia

dw-world.de/portugues

Roma – O primeiro-ministro italiano anunciou neste domingo um novo pacote econômico na tentativa de equilibrar o débito público da Itália. Um bom sinal de que o mercado recebeu de maneira otimista o novo pacote vem da bolsa de valores. Em Milão, centro financeiro italiano, a segunda-feira foi de números positivos. Depois de apresentar as novas medidas, no domingo à noite, na manhã desta segunda-feira Monti afirmou aos jornalistas da imprensa estrangeira em Roma que o novo pacote é muito diferente dos anteriores e que sem ele a Itália estaria condenada a ter o mesmo destino da Grécia.

“Saímos de uma fase política na qual parecia que o objetivo quotidiano era o confronto entre oposição e situação. Nós, não somos políticos. Fomos chamados a fazer um trabalho que queremos desenvolver de modo humilde nas relações com o parlamento e com o país. Queremos sanar a economia italiana, queremos das de volta à Itália um papel importante no mundo e, principalmente, dentro da União Europeia”.

“Salva-Itália”

Assim foi denominado o novo pacote pelo próprio premiê, que não altera a tabela do imposto de renda, contudo taxa os contribuintes mais ricos. No total, o novo pacote deve gerar uma economia de 30 bilhões de Euros. Baseadas em cortes, as novas medidas incidem sobre as despesas públicas gerais e aquelas das Regiões, Províncias e Municípios, inclusa previdência. Aliás, o anúncio de mudanças na previdência foi o que mais repercutiu. Isso porque a Ministra do Bem Estar Social, Elsa Forneno, ao tentar anunciar que seriam necessários sacrifícios dos aposentados, chorou. Quem continuou a explicar foi o próprio premiê.

“Isso nos custou, também, psicologicamente, pedir um…(silêncio)”. Creio que estivesse por dizer sacrifício, interveio o premiê Monti, explicando que os sacrifícios estão ligados à indexação das aposentarias. Tivemos que estabelecer um patamar inferior à inflação para as aposentadorias, com exceção às aposentadorias mínimas. Comova-se, mas corrija-me, finalizou o premiê italiano dirigindo-se a Ministra do Bem Estar Social.

Além destas mudanças nos valores das aposentadorias, a partir de 2012 a idade para se aposentar subirá na Itália: para os homens, a partir dos 66 anos, para as mulheres, a partir dos 62 anos de idade. Ou, ainda, 42 anos de contribuição previdencial para os homens e 41 anos para as mulheres.

Apesar de não terem sidos anunciados aumentos nas taxas do imposto de renda, o que foi visto como uma vitória pelo novo governo, a partir de janeiro os italianos terão que pagar mais pelo seu patrimônio: é o imposto municipal único, que incide sobre os imóveis. Somente com o novo imposto, o governo pretende arrecadar cerca de 8 bilhões de Euros. Tudo com o objetivo de equilibrar o orçamento até 2013.

RB/DW/Roma 12/05/2011