è dura

Nós brasileiros podemos ficar na Itália sem qualquer documentação por no máximo três meses. Nesse período, basta apresentar o passaporte com o carimbo de entrada e tudo bem. É a condição de turista. Exime de qualquer dever, não lhe dá direito a nada. Porém, passado esse período, é obrigatório fazer-se reconhecer. O que muitos imigrantes não fazem é a declaração de presença, que deve ser preenchida no máximo 20 dias após a chegada. Basta ir em qualquer delegacia, com o passaporte, e declarar a presença no devido endereço. Na verdade, quem declara a sua presença é quem te aluga o apê. Se nao o fizer, paga multa. A maioria dos proprietários não o faz por puro desconhecimento da lei.  Depois, é preciso obter um CPF ou Codice Fiscale. Independentemente da zona de residência, o imigrante deve dirigir-se à Agenzia delle entrate. Aqui em Roma tem uma em Trastevere, próximo a entrada do mercado em Porta Portese.

Passados os três meses, quando se pensa que a burocracia terminou, é que vem o pior. Para permanecer legalmente nello Stivale é necessário obter o Permesso di Soggiorno, ou visto de permanência – há inúmeras variantes para cada caso. Com o ok da Questura, que mete o dito cujo no passaporte e posteriormente envia um cartão que serve como identidade, deve-se ir ao Municipio. E é na prefeitura (onde mais poderia ser!) que o pesadelo começa.

Vale tudo! Ipod, livro, notebook, celular e um quartinho de lexotan para aguentar a burrocracia

O caos impera no Municipio. Ao menos no Primo aqui de Roma. Logo na entrada recepcionistas que mais parecem do pessoal da limpeza GRITAM em resposta a sua inofensiva pergunta. Ao chegar ao Ufficio Anagrafe, uma máquina maldita com (HIPÉRBOLE) números de senhas e serviços é o primeiro imperador a ser deposto. Depois da bela recepção, o medinho de perguntar está sempre presente. Claro que peguei a senha para o serviço errado. Depois de uma hora de espera sem livro, sem ipod, sem note, sem papel e caneta, somente com o ódio interiorizado, no relógio batem as 12h30min. Acabou o expediente!

Sim. Das 8h as 12h30min. Sem choro.

– Mas já estão fechando?

O que esperavas, figliolo, estamos aqui desde cedo!

Ma…. Os horários mudam conforme o dia. Fique atento.

Outro dia, semanas depois, devidamente armado de informações, volto. Descubri que para fazer a bendita residência é preciso primeiro pegar a senha para fazer a inscrição anagráfica. Depois, é preciso pegar outra senha para fazer a residência. Isso em meio a centenas de pessoas que, sem informação, logo perdem a paciência e protagonizam barracos épicos. É Brasil.

A minha novela ainda não terminou. Logo terei de voltar para pegar outra senha…

Anúncios

Um comentário sobre “è dura

  1. Ora, oras… a pessoa que nunca enfrentou um Detran que encare um Municipio!! Se ainda nao fosse um brasileiro. Ok, ok, o espanto se dá talvez por descobrir que ali, no Mundo Milenar, a burocracia é tão arraigada quanto no Terzo Mondo. Mas afinal, a tal presteza de serviços surgiu exatamente ali, nos milenos da renascença. Fazer o quê!? Peque a proxima senha e LEMBRE DE LEVAR UM LIVRO!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s