murarte

Ainda sobre as semelhancas entre o jeito brasileiro e o jeito italiano de ser. Capitulo 2: Os muros

Lembro perfeitamente da primeira vez que vim a Italia. Estava chegando da asseptica Paris. Quando botei os pes no aeroporto de Treviso me senti em casa. Por que? Porque ao chegar na estacao para pegar o trem vi aqueles vagoes pichados, aquelas bitucas de cigarro no chao e dei gracas a deus.

as aparencias enganam

Os romanos tambem fazem dos muros um meio para se expressar.

Por toda a cidade estao as marcas dos sprays e tambem, em meio a todo esse caos informativo  (como numa metafora linguistica ao teatro de absurdo) estao as interferencias urbanas.

Ou intervencoes, como queiram chama-las.

O que me fascina sao as varias mensagens contidas em uma so gravura, pichacao, desenho e todos os genericos da mesma manifestacao artistica.

Tenho inveja (daquelas gostosas) de quem consegue se expressar assim. Nao me lembro jamais de ter feito algo parecido, deixando uma marca seja la pra que ou pra quem.

Hoje quando me deparei com esta da foto, logo me recordei da querida Fe Luz e do movimento belezura.

Mas afinal, isso e ou nao e arte? A discussao fica ainda mais acirrada quando as intervencoes sao feitas numa cidade que exala a dita por todos as fontanas.

Afinal, gosto nao se discute. Teria razao Anamelea? Ou Messa? Ate hoje prefiro ler o que esta escrito na porta do banheiro do que apreciar os contornos rechonchudos dos anjos das pinturas renascentistas.

PS: Srta Reynaud, DDI nao se atende no banheiro!

Anúncios

luz, camera, acao!

Qualquer lugar de Roma poderia se transformar em um set de gravacao. Porem, esta manha, para a minha surpresa, a Piazza dell”orologio – onde fica a scuola – estava tomada por uma equipe de filmagem. Ja havia chegado atrasado, mesmo assim fiquei acompanhando a acao por um tempo.

:D
Desculpa Chevrolet, mas tai o lancamento antecipado!

Penso que deveria ter 50 pessoas a equipe. Entre atores, diretores (todos japas) e tambem o povo da producao.

30′ na TV e sei la quanto tempo pra preparar. Deu saudades do meus tempos de PrimeDBBS!

Enfim, um dos produtores era encarregado de esconder o carro cada vez que terminava uma cena o que concedia um clima de misterio as gravacoes. Mas nao adianta mais esconder: la macchina chama-se Aveo.

Sexta-feira minha gente. ø/

caos

caos
Cabe mais um?

26.01.2011 minha primeira greve do transporte publico em Roma. Isso que eu tinha lido que aconteceria, mas quando cheguei em Termini e que fui lembrar que era dia de c-a-o-s.

8h30 e os onibus comecaram a parar. Quem subiu, foi, quem nao entrou, se ferrou. Eu estou na segunda leva. Metro ja estava fechado entao o jeito foi ir caminhado ate a escola.

40 minutos em meio ao caos das buzinas ja que todos os carros e motos e afins estavam circulando hoje.

Fiz todas as funcoes a pe mesmo e no fim do dia consegui pegar um latao de volta pra casa. Eu e mais 200 pessoas. Uma turista francesa teve dinheiro roubado da carteira e quando se deu conta ja era tarde. Agito no onibus mas o meliante ja havia descido sem ser identificado, ou continuava ali, insuspeito diante do chororo em frances.

Do onibus assisti uma pequena colisao entre um smart e um taxi. Foi o momento descontracao. Todos chegaram a um consenso: tinha que ser mulher ao volante.

Bom, agora sao 18h e daqui de casa ainda escuto a sinfonia das buzinas. Espero que amanha tudo tenha voltado ao normal, inclusive meus pes.

Auguri

burro-cracia

sulla
erraram meu nome pra variar! 🙂

burro em italiano significa manteiga. mas nem por isso as coisas por aqui deslizam suavemente. digo pq como brasileiro conheço bem o nosso serviço publico do demora mais vai (ou nao, so pra caetanear). por aqui me parece acontecer o mesmo. da alemanha sinto saudades so dos amigos e dos aparelhos de estado. la, de fato, o negocio funciona, ao menos comigo sempre funcionou bem, viel dank.

e como driblar a burro-cracia? jogo de cintura? nao, aqui nao tem o famoso “jeitinho”. alias, agora que escrevo me dou conta que ja nao domino mais essa tecnica.

eis que que nesta segunda-feira a burro-cracia parece ter emendado o wknd. recebi minha primeira correspondencia no endereço novo – quem se muda sabe que este e um momento primordial para a adaptaçao – e finalmente, na agencia per foriestieri da Banca di Roma, consegui preencher todos os 20 quilometros de papelada e abrir minha conta. Però, ainda falta a assinatura do papa…

mas tudo isso so aconteceu depois de explicar para a gentil senhora o pq de um brasileiro vir viver em Roma se o Brasil esta em pleno desenvolvimento, cheio de postos de trabalho, com uma presidenta que amadureceu o processo democratico da jovem republica, que sediara a copa do mundo e as olimpiadas…

fila, um mal mundial

alem da burocracia, o italiano tambem adora uma fila.

aos poucos vou descobrindo as semelhanças e, claro, as diferenças – bem mais gritantes.

dizem que o italiano e mal educado, grosso, etc…mentira! ou quase-mentira.

no transito todos perdem a tramontana facilmente. so que dirigir em roma e um sacrilegio, ate pra quem tem um smart. fato: a sinfonia das buzinas e constante e, os dedos medios, tambem!

mas a grande diferenca ate agora e na cortesia. nao ha dialogo que comece sem um buongiorno… se nao der, nem mesmo na passada rapida descendo as escadas do predio nao ha pressa que impeça um grito de buonagiornata…nao se recebe nada sem dizer no fim um grazie e, no contragolpe, sempre vem um prego.


Crepi il lupo

Se alguem te desejar in bocca al lupo, pra que de fato aconteca, e preciso responder “crepi il lupo”, assim mesmo, no condicional, pra nao ter erro. Ah, se nao fosse a professora romana que gosta de ensinar proverbios 😉

Sexta-feira foi de burocracia. Aos poucos toda a papelada do mundo vai se ajeitando. Hoje foi dia de ir a Sala de Imprensa do Vaticano pra conhecer os colegas e, claro, pra me creditar.

Tinha o endereco em maos e fui confirmar com um dos guardas do vaticano, que usam uma vestimenta toda-toda.

Como no site tem todas as explicacoes da documentacao necessaria, ja cheguei com tudo pronto e foi muito rapido.

Fui gentilmente atendido por um colega que trabalha no Il Messaggero mas deve fazer tambem um bico na Santa Se, afinal…jornalistas unidos de fome jamais morrerao!

Apesar que  horario de atendimento por la superou o das embaixadas e consulados: funciona das 11h as 13h! Tambem quero um trabalho assim!

🙂

A presto

sono Roma!

Ao chegar no Stadio Olimpico, procurei meu lugar e vi que estava no meio da torcida da Roma. Quando olho pra frente, no outro extremo, bandeiras azuis, brancas e negras: Lazio ou Gremio ou Argentina? Nao importa! Azul, preto e branco nao da pra aguentar em nenhum lugar do mundo. Alem do mais, as cores da Roma sao as mesmas de Grifinoria,
a minha escola em Hogwards! =p

Hoje na aula a professora, que indiscutivelmente e Roma, levou letra e musica para aquecermos o gogo pra quando tocasse o hino da Roma no estadio. Entao digamos, ja havia chego meio decidido… O video gravei durante a execucao, antes da partida começar. Eu me arrepiei!

Nao serei a ovelha negra da casa. Sou Roma! Giallorosso 🙂

Per la cronaca…Adriano, L’imperatore, ja era. Jogou o primeiro tempo e so ficou na pequena area. Parecia um pivo no basquete. Segundo tempo, saiu o Adriano e entrou o Simplicio. Roma começou finalmente a atacar. Penalti pra Roma. Penalti pro Lazio, que havia dominado o primeiro tempo. 1 a 1. Simplicio, com a ginga brasileira fez 2 a 1 e correu pro abraço bem em frente a Distinti B, onde eu estava 🙂 A Roma vence o Derby da Capitale, va ben que nao e campeonato italiano e sim copa da italia, mas classico e classico em qualquer lugar do mundo.

Roma Roma Roma
core de ‘sta Città
unico grande amore
de tanta e tanta ggente
che fai sospirà.
Roma Roma Roma
lassace cantà,
da ‘sta voce nasce n’coro
so’ centomila voci
ciai fatto ‘nnamorà.

Roma Roma bella,
t’ho dipinta io
gialla come er sole
rossa come er core mio
Roma Roma mia
nun te fà ‘ncantà
tu sei nata grande
e grande hai da restà

Roma Roma Roma
core de ‘sta Città
unico grande amore
de tanta e tanta gente
m’hai fatto ‘nammorà


Roma se reinventa

Estamos em Roma?

Quem pensa que a cidade eterna so tem velharia, esta certo! Mas para os modernosos de plantao, tem muita arte moderna e contemporanea em Roma. Exemplo e o novissimo Museo Nazionale delle arti del XXI secolo. La passamos a tarde inteira pra dar conta de tudo que esta exposto.

Destaque para as plantas das construcoes feitas para a Olimpiada de 1960, em Roma. Me dei conta que muito do que foi construido naquela epoca hoje esta ainda incorporado a vida da cidade. Espero que depois de 2016 o Rio tambem consiga esse feito e nao fique cheio de elefantes-brancos.

Ainda no primeiro andar, destaque tambem para as plantas modernas do projeto da Ambasciata da Italia em Brasilia. Infelizmente, quando estive no DF nao pude observar esse marco arquitetonico legado ao Brasil por Pier Luigi Nervi.

As formas redondas do MAXXI me lembraram os traços de Niemayer. Quando falei do famoso arquiteto brasileiro, a colega russa fascinada disse que havia inclusive escrito sobre ele na universidade. Contei que ele deixou algumas obras em Florianopolis, mas que todas, se nao foram demolidas, sofreram alteracoes a ponto de descaracteriza-las, como o predio do LIC. Agora lembrei dos boulevards em Jurere tambem…uma pena.

Uma das obras onde e possivel interferir - positivamente, e claro!

Ok, chega de lastimas. Bom mesmo da arte contemporanea e que ela te instiga, provoca e faz realizar novas perspectivas. Principalmente naquelas obras onde e possivel ser parte dele, mesmo que por um breve momento. E na galeria 2 isso foi muito possivel.

Nada de ficar parado na frente de um quadro observando detalhes como, oh, de onde parte aquela linha que determinada o centro otico do olhar da Monalisa?

O negocio e usar o corpo (a maior arte de todas) pra interferir na ideia daqueles que tiveram a ideia original. Ideia original? Perai, ainda estamos no mundo onde nada se cria, tudo se copia? Nao!

No MAXXI, ao menos, a inspiracao contagia mesmo quem nao aprecia a dislexia 🙂